Saber o que é comprovante de renda, e como obter esse documento é crucial para quem quer ter acesso a financiamentos. Saiba como fazer emitir o seu!

O que é comprovante de renda: entenda o que é e como fazer

Você já se perguntou o que é comprovante de renda, e qual a sua importância? É comum quando vamos ao banco tomar um empréstimo, o gerente nos solicitar esse documento.

Nesse momento ficamos sem entender o que é que ele está pedindo. A verdade, é que o comprovante de renda é um documento que serve para o banco entender o quanto você ganha.

Porque é em cima desse valor que será determinado o quanto você pode tomar de empréstimo. Mas não é só para esse caso que serve um comprovante de renda.

Neste artigo vamos explicar o que é esse documento, quando ele é necessário, e quais são os principais tipos de comprovante de renda. Vem com a gente. 😊

O que é comprovante de renda?

O comprovante de renda é um documento que mostra o quanto você ganha mensalmente ou anualmente. Em outras palavras, ele representa o seu salário, seus ganhos mensais, enfim, tudo o que entra de dinheiro.

O que é Comprovante de Renda e como emitir o seu

Imagine que o Joaquim trabalha em uma loja no comércio. Todo mês ele recebe um salário de R$ 2 mil. Certa vez, ele precisou ir ao banco para tomar um empréstimo, e o gerente pediu o comprovante de renda do Joaquim.

Ele então chegou para o Carlos, seu patrão, e falou que precisava do comprovante de renda. O Carlos, por sua vez, explicou que o holerite, também conhecido como contracheque, era o comprovante de renda do Joaquim.

Além do contracheque, existem outros tipos de comprovante de renda, como:

  1. Extrato Bancário;
  2. Declaração do Imposto de Renda (DIRF);
  3. Declaração Anual de Faturamento do Simples Nacional para MEIs (DASN-SIMEI);
  4. Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos (Decore);
  5. Carteira de Trabalho;
  6. Recibo de Pagamento Autônomo (RPA);
  7. Recibo de Aluguel.

Mais adiante vamos falar mais a fundo sobre cada um desses tipos de comprovante de renda.

Está gostando deste artigo? Então leia também:

  1. Empréstimo para Pagar Dívida: Vale a Pena?
  2. Como Declarar Dívidas no Imposto de Renda 2024
  3. Como Declarar o Imposto de Renda 2024? Passo a Passo

Qual a importância do comprovante de renda?

O comprovante de renda é importante porque ele é uma espécie de atestado que mostra o quanto uma pessoa ganha, servindo para diversas finalidades.

No nosso exemplo, se o Joaquim não tivesse um comprovante de renda, ele não conseguiria tomar um empréstimo, e talvez, não tivesse acesso a financiamento de casa, carro, e assim teria mais limitações.

Porém, como dissemos, o comprovante de renda não serve somente para empréstimos bancários, mas para diversas outras finalidades como veremos a seguir.

Para que serve o comprovante de renda?

O comprovante de renda serve para:

  1. Obtenção de crédito;
  2. Aluguel de imóveis;
  3. Participação em programas sociais;
  4. Contratos de serviços;
  5. Processos Judiciais.

Obtenção de crédito

Normalmente os bancos solicitam o comprovante de renda para entender o quanto uma pessoa consegue pagar por uma parcela de empréstimos e financiamentos. Isso também inclui cartões de crédito.

Com esse documento em mãos, o gerente tem um parâmetro do quanto uma parcela pode ou não pesar no bolso de uma pessoa, e assim definir o limite de crédito para ela.

Aluguel de imóveis

Quando alguém vai alugar um imóvel, é comum também a exigência de um comprovante de renda, como forma de garantir que a pessoa terá condições de pagar o aluguel.

As imobiliárias usam esse documento para minimizar o risco de inadimplência, avaliando a capacidade do inquilino antes de alugar o imóvel.

  1. Cálculo Reajuste de Aluguel: Passo a passo completo
  2. Caução Aluguel: O que é, como funciona e quando usar

Participação em programas sociais

A maioria dos programas sociais exige comprovante de renda para saber se a família é ou não elegível para receber aquele determinado benefício, como o Bolsa Família, por exemplo.

É por meio do comprovante que o governo evita que aconteçam fraudes, e que o valor daquele determinado benefício acabe parando nas mãos de quem não precisa.

Contratos de serviços

Essa é uma situação menos comum, mas há casos em que no momento de contratar um serviço, é solicitado um comprovante de renda.

Por exemplo, na hora de fazer um plano de saúde, ou matricular o seu filho na escola, pode ser que a instituição peça o comprovante de renda da família. No entanto, na maioria das vezes o documento não é solicitado.

Processos judiciais

Existem situações, como no caso do de pensão alimentícia e até em divórcio que é necessário uma das partes apresentar um comprovante de renda.

Assim fica mais fácil definir o quanto se deve pagar de pensão, ou de partilha de bens. Porém, com a digitalização, geralmente esse processo é feito automaticamente.

Como fazer um comprovante de renda sendo autônomo?

Quem é autônomo pode comprovar a renda de diversas maneiras, como por exemplo:

  1. Extrato bancário;
  2. Declaração do Imposto de Renda;
  3. DAS/SIMEI;
  4. Recibo de Pagamento Autônomo (RPA);
  5. Decore;
  6. Cadastro Positivo

Extrato bancário

O extrato bancário é uma alternativa rápida para a comprovação de renda. Porém, é válido dizer que nem sempre ele é aceito em algumas instituições.

Vale destacar que o documento precisa apresentar a movimentação de ao menos 3 meses, e por isso, é importante conferir com a instituição se ele é realmente aceito.

Caso seja, é possível obter ele diretamente no seu banco. E sem a necessidade de ir até a agência, podendo ser feito pelo app do seu celular ou pelo site do banco.

Declaração do Imposto de Renda

Outra forma do profissional autônomo declarar renda é por meio da Declaração do Imposto de Renda. Com esse documento é possível saber todos os rendimentos de uma pessoa.

Ainda que seja um documento oficial, há casos, principalmente quando se trata de empréstimo bancário, em que seja necessário apresentar documentos complementares.

E como obter essa declaração? Esse documento pode ser acessado por meio do Portal e-CAC, selecionando a opção “Meu imposto de renda”, dentro do portal.

DAS/SIMEI

Essa é uma alternativa destinada para os profissionais que se enquadram na categoria MEI. Afinal, todo ano é preciso emitir a Declaração Anual de Faturamento do Simples Nacional Microempreendedor Individual (DASN-SIMEI).

Esse documento informa todo o faturamento que você teve no ano anterior, e também pode ser obtido por meio do Portal do Empreendedor. Interessante, né?

Recibo de Pagamento Autônomo (RPA)

O profissional autônomo na maior parte das vezes emite Nota Fiscal de Serviços, mas há casos em que ele usa o Recibo de Pagamento Autônomo.

Mas o que é isso?

Esse é um documento que atesta que ele prestou um serviço para uma determinada empresa, e também é usado em muitas situações.

Dependendo do banco, também pode ser aceito os contratos de prestação de serviços que são firmados entre as duas partes. Legal, né?

Decore

A Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos (Decore) também pode ser usada como prova de informações para rendimento de uma pessoa.

Todavia, é válido dizer que ela só pode ser emitida por um profissional registrado no Conselho de Contabilidade. Geralmente, para emitir esse documento, o contador vai pedir:

  1. Recibos;
  2. Extratos bancários;
  3. Declaração do Imposto de Renda.

Cadastro Positivo

Por fim, o Cadastro Positivo também pode fornecer para a instituição financeira um panorama completo sobre a vida do consumidor.

Afinal, ele representa uma base de dados com todo o histórico financeiro, e como possui informações sobre dívidas e histórico de bom pagador, pode ser usado em algumas situações como comprovante de renda.

Como fazer a comprovação de renda sendo CLT?

No caso do profissional que trabalha com carteira assinada, a comprovação de renda pode ser feita por meio de:

  1. Holerite;
  2. Extrato Bancário;
  3. Declaração de Imposto de Renda;
  4. Carteira de Trabalho (CTPS).

Holerite

O Holerite é o tipo mais comum de imposto de renda para quem trabalha como funcionário registrado. Quem emite é o empregador, e entrega todo mês junto com o salário para o empregado.

Sabe aquele documento que você assina quando recebe o salário? Esse é o holerite. É muito comum que o banco solicite os últimos 3 documentos para comprovar renda.

Extrato bancário

Como a maioria das empresas faz o depósito de salários diretamente na conta do empregado, é normal que o extrato bancário sirva como comprovante de renda.

Até porque nele consta todo mês os depósitos da empresa em conta. Mas é preciso dizer que nem todos bancos aceitam esse documento.

Quando se trata de financiar uma casa, ou até mesmo comprar um carro, geralmente só é aceito o holerite ou a Declaração do Imposto de renda.

Declaração do Imposto de Renda

Quando o salário de uma pessoa é razoavelmente alto, ela precisa fazer a Declaração do Imposto de Renda. Isso é feito todo ano, começando dia 15 de março e se estendendo até o dia 31 de maio.

Por ser um documento oficial, ele é amplamente aceito pelas instituições financeiras. E geralmente é solicitado para casos de financiamento imobiliário.

Carteira de Trabalho (CTPS)

A Carteira de Trabalho também é um documento aceito como comprovante de renda. Para quem perdeu os últimos holerites, ela pode ser usada.

Portanto, se você não sabe onde colocou os recibos que assinou na hora que recebeu o salário, pode usar a carteira de trabalho como comprovante.

Comprovante de renda para quem não trabalha: como fazer?

Geralmente quem não trabalha não possui renda, mas há situações em que mesmo a pessoa não trabalhando, ela pode ter uma renda, como no caso de mulheres que recebem pensão alimentícia do marido.

Nesse caso, é possível apresentar uma sentença judicial com o valor da pensão, ou declaração, ou então com o valor descrito e assinatura da pessoa que paga a pensão.

Já quem é aposentado ou pensionista do INSS, pode apresentar os últimos 3 comprovantes de recebimento do benefício para comprovar a renda.

Veja também: Aposentadoria proporcional: saiba como funciona e qual o valor!

Conclusão

Como pudemos ver ao longo deste artigo, o comprovante de renda é um documento importante que mostra o quanto uma pessoa ganha. Ele é essencial para empréstimos bancários, financiamentos e aluguel de imóveis.

Existem vários tipos de comprovante de renda, indo desde o holerite que é o mais tradicional, até o extrato bancário que é menos aceito pelas instituições.

Portanto, guardar o comprovante de renda é crucial para que você tenha como provar o quanto recebeu em um mês, e assim ter acesso a crédito no mercado.Foi possível entender o que é comprovante de renda?

Se gostou deste artigo, visite o blog do Acordo Certo e leia outras matérias como essa. Até a próxima. 😉

FAQ: Perguntas frequentes

Como faço para conseguir o comprovante de renda?

Uma das maneiras mais fáceis de se obter o comprovante de renda é através do app ou site da Receita Federal. Isso serve para quem fez a Declaração do Imposto de Renda. Também é possível apresentar a carteira assinada e o holerite que é fornecido pelo empregador.

O que pode ser considerado como comprovante de renda?

Pode ser considerado comprovante de renda o Holerite, também chamado de contracheque, a carteira de trabalho, extratos bancários e outros documentos como o Decore, o DAS/SIMEI e a Declaração do Imposto de Renda.

Como comprovar renda de bicos?

Para quem faz bicos, o Recibo de Pagamento Autônomo (RPA) pode ser o documento mais aceito para comprovar renda. Porém, nesses casos pode ser solicitado também o extrato bancário e outros tipos de comprovantes de renda.

Como usar o MEI como comprovante de renda?

O MEI pode comprovar renda pelo DAS/SIMEI que pode ser acessado no Portal do Empreendedor, clicando em “Já sou MEI”, e depois selecionando a opção “Simei – Serviço de Apoio ao Microempreendedor Individual”.

Como comprovar renda de um trabalhador informal?

O trabalhador informal pode declarar renda de diversas maneiras, como pelo extrato bancário, Declaração do Imposto de Renda, Decore (Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos) e declaração própria registrada em cartório.

Web Stories

Esse conteúdo foi útil?